Sabias que…

A prática de respiração consciente pode ir bem além da incorporação de técnicas respiratórias durante a tua prática de yoga? O Breathwork pode ser uma prática terapêutica poderosa e, durante as próximas semanas, vamos descobrir como pode trazer-te inúmeros benefícios a nível físico, emocional, mental e espiritual.


O Corpo

As práticas de Breathwork podem ser mais do que exercícios para respirar corretamente ou com consciência: estas técnicas de respiração funcionam como ferramentas para grandes transformações e abrangem uma ampla gama de práticas e exercícios terapêuticos usados para aliviar a tensão mental, física e/ou emocional.

Quando pensas em respirar, provavelmente pensas no aspecto físico da respiração - a inspiração e a expiração de ar. Respirar é, de facto, uma parte vital da vida, pois fornece oxigénio que entra na nossa corrente sanguínea e que libertamos sob a forma de dióxido de carbono.

Assim, no nível sobre o qual nos debruçamos hoje - o físico - as práticas de respiração têm a ver, em primeiro lugar, com aprendermos a respirar com mais eficácia e facilidade e, ainda, com a transformação de padrões restritos de respiração. Isto porque a maioria das pessoas obtém menos ar do que aquele que seria capaz, devido a padrões de respiração fechados.

O corpo humano está cuidadosamente desenhado para absorver 75% da sua necessidade de energia através da respiração: sim, antes daquilo que ingerimos sob a forma de comida ou bebida, o oxigénio é a unidade mais fundamental de combustível que levamos ao nosso corpo. Além disso, também eliminamos 70% das nossas toxinas pela respiração - o oxigénio limpa as células por oxidação e permite que os resíduos sejam transportados de volta aos pulmões pela corrente sanguínea. Perante estes factos básicos, é fácil perceber porque é que aprender a respirar corretamente é uma das bases mais fundamentais para apoiar e manter a nossa saúde e bem-estar.

Curiosamente, como seres humanos, sabemos muito sobre as outras máquinas: automóveis, computadores, aeronaves… mas não somos educados a conhecer a nossa própria “máquina”. A maior parte de nós não possui consciência deste processo metabólico fundamental e, por isso, mais de 90% das pessoas usa menos de 50% da sua capacidade respiratória.
Os resultados destas práticas respiratórias superficiais traduzem-se em baixos níveis de energia, acúmulo de toxinas, níveis altos de stress e estados emocionais estagnados.

Os inúmeros benefícios da respiração

Os orientais sabem, há milhares de anos, que o principal meio de acesso à força vital do nosso corpo é através da respiração.

Por exemplo, quando o nosso corpo opera sob stress (o chamado sistema de fuga ou luta), ele liberta um hormonas como cortisol e adrenalina, que fazem com que a respiração acelere e a tensão aumente, desencadeando um estado de hiper-vigilância. A respiração abdominal pode ajudar a reverter essa resposta e a relaxar o corpo.
Os benefícios desta respiração (em que privilegiamos o uso do diafragma em vez do peito e convidamos os músculos do pescoço e do peito a relaxar, envolvendo os abdominais e permitindo que uma quantidade maior de oxigénio chegue às células e aos órgãos do corpo) são, frequentemente, imediatos: ao respirar profundamente, activamos o nosso sistema nervoso parassimpático que, por sua vez, diminui a frequência cardíaca e a pressão arterial, criando uma sensação de calma.

Este é apenas um dos muitos factos, já comprovados cientificamente, sobre a influência da respiração ao nível do nosso corpo físico. Outros incluem:

• Melhoria da capacidade respiratória, através da abertura dos pulmões e da caixa torácica

• Transformação de padrões respiratórios restritos

• Aumento da oxigenação em todo o corpo

• Redução dos níveis de tensão e stress

• Aumento da energia vital

• Estimulo e melhoria da circulação

• Melhoria em muitas condições como doenças respiratórias, dores de cabeça, baixa energia, doenças psicossomáticas, doenças anaeróbicas, etc.

E muito mais pode ser dito e explorado sobre este recurso que vive, literalmente, debaixo do nosso nariz...
Hoje, falámos sobre o corpo; na próxima semana, o nosso foco vão ser as emoções, continuando, assim, a nossa viagem pelo fantástico mundo mundo da respiração!