A Mente Subconsciente

Diversos estudos científicos defendem que produzimos entre 50.000 e 70.000 pensamentos por dia, sendo que a maioria deles - 80% ou mais - é inconsciente e repetitiva. Não é difícil entendermos que, enquanto pensamentos positivos ou expansivos criam resultados positivos e expansivos na nossa vida, pensamentos negativos ou limitativos criam resultados negativos e limitados.

O maior desafio no nosso dia-a-dia é, exactamente, o facto da maioria desses pensamentos ser inconsciente mas, apesar disso, guiar e condicionar de forma preponderante o que fazemos e as decisões que tomamos. Ou seja: embora não tenhamos, grande parte das vezes, essa consciência, são memórias, crenças, traumas e ideias enraizadas a um nível muito profundo que norteiam a forma como vivemos.


Durante toda a nossa vida recebemos e processamos, continuamente, informação. É defendido por muitas correntes da psicologia que, até aos 7 anos de idade, recolhemos mais informações e formamos as nossas crenças e padrões de pensamento. Assim, o intervalo de tempo desde o nascimento até os 7 anos de idade é, provavelmente, o mais crucial na determinação das nossas crenças subconscientes. Isto não significa que não podemos fazer nada sobre isso agora, enquanto adultos: o poder da mente subconsciente é infinito!
Então, o que podemos fazer se a nossa mente subconsciente possui crenças que não são verdadeiras, que nos limitam e não servem os nossos objetivos?

A prática de breathwork possibilita-nos, muitas vezes, o acesso a esta mente subconsciente e coloca nas nossas mãos (e narizes e bocas!) a capacidade de mudarmos, libertarmos ou reinventarmos pensamentos e, consequentemente, transformarmos diversos aspectos das nossas vidas.
Com certeza já ouviste o célebre provérbio “a energia flui para onde a mente é direccionada”…

O que é que isto significa?

Na arte marcial chinesa do Tai Chi, há uma máxima que afirma: "O chi flui para onde a mente vai." Por outras palavras, diz-nos que a nossa atenção concentra a nossa energia vital. Estarmos conscientes dos pensamentos e da forma como focamos a nossa atenção é um passo definitivo na criação da vida que desejamos para nós.

Da mesma forma, as práticas de breathwork também são altamente eficazes ao nível daquilo que acumulamos (e nos guia a maior parte do tempo) no subconsciente: emoções reprimidas, crenças negativas, histórias antigas e memórias passadas, todas armazenadas, não só na mente, mas no corpo.
Podemos aceder a tudo isto respirando nas áreas do nosso corpo onde a respiração está bloqueada e, com a prática, libertando a respiração onde ela não flui. Desta forma, poderemos trazer à superfície emoções estagnadas, pensamentos e memórias e, à medida que continuamos a respirar e a “abrir” estes espaços outrora fechados, integramos e transformamos essas repressões.

Sim, é possível carregar no botão de reset e começar de novo. Respiração a respiração, olhando para dentro, tomando consciência dos nossos pensamentos, dando força aos que nos empoderam e libertando aqueles que nos limitam.
Vamos carregar no botão?

Respira fundo e... boas práticas!